Museu do Romantismo

Museu do Romantismo

Localizado em um antigo palacete neoclássico, este museu recria a vida e os costumes da alta burguesia madrilenha durante o Romantismo.

O museu permite conhecer o mundo em que viviam as famílias abastadas de Madrid durante o Romantismo, importante movimento cultural do século 19. Apesar da fachada sóbria, o interior do palacete transporta o visitante para o modo de vida burguês, em que o poder era representado por meio das propriedades.

A decoração, nada minimalista, ocupa o centro das atenções. O espaço mais importante e o ponto central do palacete é o salão de baile, onde o luxo e a ostentação são as características mais chamativas. Grandes espelhos refletem as suaves paredes forradas de ouro e seda, enquanto o brilho dos lustres ressalta os tetos chamativos.

O local possui uma interessante coleção de móveis e pinturas, incluindo obras de Goya, Esquivel, Madrazo, Alenza e dos irmãos Bécquer, além de cerâmica de Sargadelos e Sèvres, joias de ebonite, lava ou cabelo natural, uma coleção de bonecas de porcelana e 15 pianos.

Aberto em 1924, o museu fica num edifício de estilo neoclássico, construído em 1776 pelo Marquês de Matallana, e foi lar de vários nobres. O número de visitantes cresce a cada ano – a cifra chegou a quase 100 mil em 2017.

Para concluir o passeio nesse ambiente cheio de opulência, uma boa dica é desfrutar de um café no belo jardim do museu.

Horário

De novembro a abril:
De terça a sábado: de 9:30 a 18:30 horas.
Domingos e feriados: de 10:00 a 15:00 horas.
Segunda: fechado.

De maio a outubro:
De terça a sábado: de 9:30 a 20:30 horas.
Domingos e feriados: de 10:00 a 15:00 horas.
Segunda: fechado.

Preço

Entrada: 3€.
Domingos e sábados: a partir das 14:00 horas, a entrada é gratuita.

Transporte

MetrôTribunal (linhas 1 e 10) e Alonso Martínez (linhas 4, 5 e 10).
Ônibus: linhas 3, 37, 40 e 149.